Neuromarketing/ Pesquisa Neurocientífica

Dificuldades que você encontrará para defender e vender o Neuromarketing

Tudo que é novo e gera curiosidade ao mesmo tempo, demanda um esforço maior (paciência, tempo, estudo e dinheiro) até que as pessoas ou público-alvo, percebam os benefícios que podem ser obtidos com o Neuromarketing e com as pesquisas neurocientíficas e, efetivamente comprem sua ideia ou aceitem sua proposta inovadora de trabalho.

Se você é alguém em busca desse tipo de serviço ou se você pretende prestar esse tipo de serviço, fique atento para as dificuldades que possivelmente encontrará pelo caminho:

Clientes que nunca investiram em Marketing e quando decidem investir, querem comunicar tudo de uma só vez e de preferência, na mesma comunicação, arte ou e-mail.

Donos de empresas que querem que os anúncios e publicação sejam feitas para agradar o seu gosto pessoal e quando isso ainda envolve certo conhecimento de publicidade ou marketing é pior ainda, pois se julgam conhecedores do tema quando o Neuromarketing joga por água a baixo um bom tanto do conhecimento e teses defendidas pelo Marketing Tradicional.

Pessoas dispostas a pagar o preço que esse conhecimento valioso tem. A maioria das empresas (e nesse caso leia-se pessoas) quer muito resultado com pouco ou nada de investimento. Nem mesmo uma ciência como o Neuromarketing pode fazer milagres, o que ele faz é potencializar os resultados uma vez que a mente é universal e focamos na comunicação baseada no funcionamento da biologia de consumo, como o cérebro inconsciente funciona na tomada de decisão e isso reflete num resultado de 3 a 20 vezes melhor do que uma comunicação bem feita no Marketing Tradicional, mas tem que ter o mínimo de investimento, não tem milagre!

Profissionais com pouco embasamento que ouvem teorias pelo mundo afora e não se aprofundam em pesquisas neurocientíficas e transformam em meros replicadores. Tem se estudado mais sobre o cérebro humano em 5 anos do que em 100 mil anos de sua existência e existem ainda muitas descobertas a serem feitas. Por exemplo, há uns 3 anos atrás acreditava-se em hemisférios dominantes, de que maior atividade cerebral no lado direito do cérebro significava que a pessoa era mais criativa e no lado esquerdo, mais racional. O ser humano pode ser mais criativo ou mais racional, porém estudos recentes comprovam que a atividade cerebral vai acontecer em ambos os lados e em alguns casos, simultaneamente.

Designers, publicitários ou desenvolvedores web que passaram uma vida inteira fazendo seus projetos da mesma forma, extremamente elaborados e cheios de firula; e garantem que é a melhor forma e que funciona. É preciso se atualizar e entender que essa visão atinge somente o público racional responsável por 5% da tomada de decisão, que o objetivo com o Neuromarketing é comunicação para o inconsciente (os outros 95% do cérebro que efetivamente dominam o pedaço). Nosso cérebro recebe cerca de 11 milhões de informações por meio dos nossos sentidos porém o consciente consegue processar no máximo 40 bits de informação, agora conclua…

Profissionais do marketing que usam o pouco conhecimento que tem de Neuromarketing para manipulação (vale lembrar que como toda ciência tem gente que usa para o bem e outros que usam para o mal, nesse caso esses profissionais deveriam utilizar esse rico embasamento biológico, genético e comportamental para persuasão e efetividade da comunicação para o cérebro), outros chegam a falar de hipnose publicitária (whaaaaat???) e denigrem toda uma nova área que possui inúmeros estudos sérios a respeito (leia mais aqui), fazem isso por mera falta de conhecimento ou até mesmo preguiça de se aprofundar nos estudos, mas vale lembrar que o Neuromarketing pretende (e já está) revolucionando a forma de se vender e de comunicar, até Kotler (considerado pai do Marketing) aponta isso como a tendência do século.

Neuromarketing é fundamental, mas acredite, neurovendas também é. Terá situações que seu cliente entenderá facilmente os benefícios que colherá com o Neuromarketing, mas caso o serviço a ele fornecido seja apenas consultoria em neuromarketing é recomendado que junto a ela seja agregado um módulo de neurovendas, caso contrário você ou sua agência terá todo um esforço de levar o cliente até o site, blog, página das redes sociais, e-commerce ou loja física e ao ser atendido, o vendedor ou atendimento focas nas características do produto ou serviço, conceder explicações gigantescas ou demorar para prestar o atendimento ou resposta que o cliente necessita, todo o trabalho irá por água abaixo e a conversão de vendas não acontecerá, isso porque o racional desse cliente já foi ativado e talvez ele já tenha deduzido (ou racionalizado com tanto tempo e informação disponíveis depois do primeiro contato) que não precisa mais do seu produto ou serviço.

Assim como pessoas extraordinárias precisam de grandes esforços, resultados extraordinários demandam estudos e esforços na mesma ou maior proporção.

Usando um exemplo de análise de acessos de um site ou de usabilidade, não é possível afirmar com certeza que o local que as pessoas mais passam o mouse no meu site por meio de um plugin de heat map (que mede a movimentação do mouse no momento que o usuário está navegando no site) é a área do meu site que meus clientes têm maior fixação do olhar (dilatação da pupila = prestamos atenção ou geramos emoção), para tal afirmação eu preciso submeter meu site a uma pesquisa com eye tracking e de preferência, em conjunto com um EEG ou eletroencefalograma (clique aqui para mais detalhes sobre esse tipo de pesquisa).

Assim como toda tecnologia entrante no mercado as pesquisas neurocientíficas ainda não possuem um preço popular, pois os equipamentos utilizados nessas pesquisas variam de R$ 200 mil reais a R$ 1 milhão de reais. No entanto toda empresa que busca um diferencial e tem em mente que investir de forma certeira é exponencialmente mais eficiente do que dar um tiro de canhão para o alto ou às cegas (sem nenhum embasamento científico, baseado somente na expertise de um profissional de marketing convencional ou com um proposta de trabalho com preço barato) perceberá que o investimento em Neuromarketing ou Pesquisas Neurocientíficas tendem a trazer um resultado duradouro e a longo prazo, pois o foco não é realizar uma única venda com o intuito de lucro (você até consegue isso se focar no consumo impulsivo, porém commodities focam somente no lucro e você quer ser uma marca amada por seus clientes e rentável, certo?), o objetivo maior é agregar valor para sua marca e fazer com que seus clientes sejam fidelizados e que amem a marca sem saber explicar direito o porquê e a partir do momento que a marca consegue isso, pode vir a concorrência e tempos de crise que nada muda isso.

Se quer conhecer mais como podemos te ajudar numa comunicação efetiva com Neuromarkting ou contratar pesquisas neurocientíficas, não deixe de fazer contato 😉

Agora se você é da área ou está encantado com o assunto e quer conhecer mais e mais sobre o Neuromarketing, não precisa mais correr lá fora do Brasil com esse valor de dólar exorbitante, a Neuronio Web passou a oferecer cursos em parceria com o IBN – Instituto Brasileiro de Neuromarketing e Neuroeconomia, que oferece workshops, palestras e seminários de extrema qualidade e especializados no tema, em todo o Brasil, clique aqui para saber mais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.